sexta-feira, 30 de junho de 2017

Tarte Folhada de Ananás


Ótima sugestão para um dia cheio de trabalho, em que precisamos de fazer uma sobremesa que seja simples e rápida de preparar.


Ingredientes:

1 massa folhada retangular
2 gemas de ovo
2 colh.sopa de açúcar
1 colh. sopa de farinha
2,5 dl de leite
1 lata de ananás
1 casca de limão
amêndoa q.b.
cereja em calda
geleia para pincelar

Preparação:

Num tacho coloque o açúcar, a farinha, a casca de limão, o leite e mexa tudo muito leve. Leve a lume brando, até engrossar.
Abra a massa folhada e em redor, faça uma dobra fina, depois pique o interior da massa, com um garfo.
Vaze por cima da massa folhada o creme, seguido das rodelas de ananás (já escorrido), das cerejas em calda, terminando com um pouco de amêndoa.
Forno pré-aquecido a 180º, cerca de 45 minutos.
Depois de retirar do forno e com a tarte ainda quente, pincele as bordas da tarte com geleia.


domingo, 25 de junho de 2017

Arroz de Atum Malandrinho


Receita do tão famoso arroz de atum, ou também denominado de "Arroz de Marisco dos Pobres" 😄😃😃. Pessoalmente não acho que fique nada atrás do arroz de marisco. Aqui fica então a receita de um arroz de atum, bem malandrinho para se deliciarem.



Ingredientes:
(4 a 5 pessoas)

400 g arroz
2 latas de atum das redondas grandes
1 cebola picada
2 dentes de alho picados
500 g tomate aos pedaços
1 l de água
1 dl de azeite
1 folha de louro
salsa picada q.b.
sal e pimenta q.b.
8 ovos cozidos


Preparação:

Num tacho coloque, o azeite, a cebola e os alhos picados, a folha de louro, o tomate pelado e cortado em pedaços e leve ao lume até o tomate se desfazer e formar um creme.

Junte a água, um pouco de salsa picada, tempere de sal e pimenta. Quando o caldo começar a ferver, junte o arroz e deixe cozer.

Coza os ovos e escorra o atum das latas, desfazendo-o num prato com um garfo.
Quando o arroz estiver quase cozido, junte o atum e envolva, desligue o lume.
Sirva logo de seguida com os ovos cortados aos pedaços e salpicado de salsa.



sábado, 17 de junho de 2017

Bolo de Aniversário Mãe (2017)


Este ano queria fazer um bolo de aniversário especial para a minha mãe, pois ela completava 70 anos, o que representa uma data fantástica. Não queria fazer aquele bolo que tradicionalmente se faz para uma senhora dessa idade, queria algo diferente, algo que ela nunca tivesse tido. A infância da minha mãe e dos seus seis irmão, não foi fácil, feliz sim. Não era simples nos anos 40 e 50 (infância dela), as famílias humildes criarem 7 filhos, que era o caso dos meus avós maternos,  pelo que a prioridade de vida, era a alimentação, o vestir e a escola, as festas de aniversário naquela época, eram só para a classe alta. Felizmente que depois de 1974, muita coisa mudou e muitas mais crianças no nosso país passaram a poder ter festas de aniversário. Obrigada mãe, pelas festas de aniversário que me fizeste a mim e ajudas-te a preparar para a minha filhota, sem nunca mencionares que nunca tinhas tido uma festa, como que se isso fosse a coisa mais natural do mundo... não é!! Todas as crianças do mundo deveriam pelo menos uma vez na infância viver a felicidade de ter uma festa de aniversário.
Por tudo o que mencionei atrás e porque te amo muito, aqui fica o bolo que deverias ter tido na tua infância, como sabia que adoravas a Abelha Maia, fiz então este bolo para a Dona H.Maia.


segunda-feira, 12 de junho de 2017

São Marcos



             


  Em Junho abafadiço sai a abelha no cortiço.
                                                      Provérbio Popular






Ingredientes:
 
Bolo
2 ovos
50 g açúcar louro
50 g farinha com fermento
 
Creme
200 g leite condensado
2 dl natas
4 folhas de gelatina
1 clh. chá extrato baunilha
 
Doce de ovo
3 gemas
3 clh. sopa de açúcar
3 clh. sopa de água
 
Caramelo líquido q.b.
 

Preparação:

Bolo
Bata os ovos com o açúcar até a massa dobrar de volume, depois envolva a farinha lentamente com movimentos suaves, de modo a que a massa fique volumosa na mesma.
Forno a 180ºc, em forma untada, cerca de 15 a 20 minutos.
Depois de cozido, desenforme e deixe arrefecer.
Creme
Coloque as folhas de gelatina a demolhar em água fria, depois derreta-a num pouco de água quente ( o mínimo possível de água). Numa tigela junte o leite condensado, a gelatina derretida, a baunilha e mexa. Batas as natas bem frias em chantilly e envolva os dois preparados.
Doce de ovo
Num tacho leva ao lume o açúcar com a água e deixa ferver até atingir o ponto de pérola. Quando a calda do açúcar estiver pronta, junta-se às gemas aos poucos, mexendo energicamente para não cozer as gemas. Depois de tudo envolvido, leva-se novamente ao lume, mexendo sempre até engrossar ligeiramente, não queremos o creme demasiado grosso, depois retira-se do lume e deixa-se arrefecer.
Montagem do semifrio
Com uma faca ou se tiver um nivelador de bolos, corte o bolo já frio ao meio. Coloque um aro (15 cm) removível num prato de servir e no fundo coloque uma das metades do bolo. Por cima o creme e leve ao frigorifico, quando o creme estiver sólido, retire do frio e por cima coloque a segunda metade do bolo e leve novamente ao frio. Depois espalhe o doce de ovo, já frio, por cima e leve de novo ao frio. Mais tarde, deite com muito cuidado, o caramelo líquido por cima, de modo a que não se misture com o doce de ovo. Leve novamente ao frio.
 

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Tarteletes de Noz


"Dá Deus nozes a quem não tem dentes."
                                       Provérbio Tradicional

Certas pessoas não sabem aproveitar a posição vantajosa em que se encontram face a outros.



Ingredientes:
(4 unidades)

1 massa quebrada
150 g de Noz
150 g de doce gila
80 g de açúcar
2 gemas + 1 ovo inteiro



Preparação:

Forre as mini tarteiras com a massa quebrada e reserve.
Numa tigela, mistura o açúcar, com o doce de gila, as gemas e o ovo, mexendo bem.
Junta-se depois a noz partida em pedaços, mexendo bem até estar tudo incorporado.
Deita-se o preparado nas tarteiras e leva-se ao forno a 180º, cerca de 30 minutos.




sábado, 3 de junho de 2017

O meu, bolo de Aniversário (2017)


Este foi o bolo que fiz para o meu aniversário e tive por inspiração a antiga tradição lisboeta dos pequenos tronos de Santo António. Em 1755 quando o terramoto destruiu grande parte de Lisboa, também ruiu a igreja de Santo António, assim a população quis ajudar da reconstrução da igreja e até as crianças contribuíram construindo pequenos altares que colocavam na rua e pediam "um tostãozinho para o Santo António", este gesto manteve-se por muitos anos, estando hoje em dia em desuso, o que é pena, porque um dos maiores bens que podemos deixar aos nossos filhos, são as tradições. 
 
Viva o Santo António, viva o São João!
Viva o 10 de Junho e a Restauração!
Viva até São Bento, se nos arranjar!
Muitos feriados para festejar!


 

Papinha Doce Template by Ipietoon Cute Blog Design